Clube da Aposta Clube da Aposta menu  

PNL e Fatores Psicológicos • Âncoras, janelas da memória e ego

Autor
Por Roberto Tavares

Faça parte da maior comunidade de apostas on-line do Brasil

É consenso entre apostadores e traders que os fatores psicológicos são determinantes na busca pelo sucesso. Controlar o “eu”, gerir emoções e fazer com que a nossa mente trabalhe para nós – e não contra nós, é um desafio e tanto. Entre as diversas abordagens que poderíamos fazer deste tema, vemos as âncoras, janelas de memória e ego como algo que podemos treinar e aperfeiçoar, assim como podemos treinar e aperfeiçoar técnicas de trading ou punting. Aprender a extrair muito do pouco, suportar o peso dos próprios erros, ser criativo e valorizar as nossas habilidades serão assunto neste artigo. É importante ressaltar que não somos especialistas da área da psicologia nem mesmo da PNL (Programação Neurolinguística). O texto que você vai ler é baseado em livros, palestras, cursos, documentários, etc… Aproveitem =)

Como o fator psicológico influencia os seus resultados

Agir sem pensar é algo recorrente e comum entre apostadores e traders iniciantes e até mesmo em avançados. Somos seres humanos, movidos por emoções e sentimentos. Uma partida de futebol, um jogo de tênis, uma corrida de cavalos… há sempre aquele evento esportivo que fica gravado na nossa mente (consciente ou inconscientemente), nos trazendo recordações que nos levam à tomada de decisões que, por muitas vezes, não refletem a realidade dos fatos. Mapear os padrões que nós mesmos definimos e analisar a forma como agimos em diferentes situações, tanto àquelas adversas, como as mais comuns, influenciam diretamente nos nossos resultados.

Âncoras

âncoras

Âncoras são gatilhos mentais (visuais, auditivos, cinestésicos ou olfativos e gustativos) que disparam um estado emocional, sendo bastante discutidos na programação neurolinguística (PNL). As âncoras estão ao nosso redor – sempre que respondemos sem pensar, estamos sob a influência de uma âncora. A ancoragem é o processo (consciente ou não) através do qual qualquer estímulo interno ou externo se torna um gatilho que provoca uma resposta emocional. Âncoras são partes muito importantes de nossas vidas; constroem hábitos; ajudam a nos tornar inconscientemente competentes. Por exemplo, não queremos ter que pensar em parar ao sinal vermelho cada vez que nos aproximamos de um cruzamento, mas o sinal vermelho é uma âncora para pararmos.

Nas apostas, não deveríamos parar para pensar ao investir mais do que o percentual estipulado da nossa banca em um determinado mercado. Deveríamos ter, ancorado em nossa mente, o princípio de que agindo de forma irresponsável com os nossos recursos, estamos minando os nossos resultados e até mesmo a nossa sobrevivência como investidor. A liberdade emocional vem de estar consciente das âncoras que se tem e de optar por responder apenas às que deseja.

Bandeira Exemplos de âncoras visuais: A bandeira nacional, retratos, um sorriso, um semblante, propaganda, gesto com a mão, um dia ensolarado, etc. Tudo isso pode despertar lembranças antigas ou evocar sensações atuais.

MusicaExemplos de âncoras auditivas: Seu nome, música, tom de voz, canto dos pássaros. A palavra “cão” suscita respostas diferentes nas pessoas, com base em suas experiências anteriores com cachorros.

Ancora CinestesicaExemplos de âncoras cinestésicas: Uma cadeira confortável, um banho ou ducha, um gesto poderoso (ex: socar o ar após um gol). Tocar o braço ou ombro de alguém quando estiver em um estado intenso associará esse toque a um estado específico.

Ancora Olfativa GustativaExemplos de âncoras olfativas e gustativas: O cheiro de asfalto em uma estrada, o cheiro de um hospital, o cheiro de um cemitério, o cheiro de pão recém-assado, o sabor de sua comida predileta, o gosto de chocolate, o gosto de café.

Estabelecendo âncoras

Estabelecendo AncorasUma experiência intensa estabelece uma âncora. É assim que as fobias começam – um trauma emocional intenso pode criar um medo para a vida toda. Se as emoções envolvidas forem menos intensas, âncoras podem ser igualmente estabelecidas pela repetição. Muitas âncoras são criadas de forma aleatória através da repetição. Passamos o dia respondendo às pessoas, eventos, sons e vozes, objetos e música sem pensarmos nisso. Não costumamos prestar atenção às âncoras em nossas vidas. Âncoras são atemporais – elas dirigem muitos momentos  em nossas vidas… podemos estabelecer, conscientemente, âncoras para que sejamos mais eficientes na rotina de trabalho, como trader ou apostador.

Como comentamos anteriormente, âncoras podem ser estabelecidas após uma experiência intensa. Exemplos claros para nós, traders e punters, são os grandes reds causados em situações em que claramente agimos erroneamente. Precisamos ancorar, pra que não voltemos a repetir. Algumas pessoas fazem reds se tornarem reds maiores ainda, pois não conseguem desassociar o prejuízo anterior à operação atual. Se você é assim, que tal desenvolver um gatilho mental para que, quando tenha um grande prejuízo, não volte a apostar em um prazo predeterminado? O mesmo pode funcionar para situações em que você tem um grande lucro. Muitos apostadores acabam desperdiçando boa parte do lucro pelo excesso de confiança por estar com o ego em alta, tópico que exploraremos mais a frente.

Além das âncoras que podemos criar conscientemente em situações extremas, trabalhando de forma equilibrada, disciplinada e sensata, podemos criar dia após dia, gatilhos mentais para situações de menor proporção. Como exemplo, podemos citar:

  • Nunca apostar mais do que o percentual predeterminado;
  • Em situações de grande prejuízo, ou grande lucro, parar por um tempo e só depois retornar às atividades;
  • Fechar posições em jogadas de bola parada, de equipes com bom poderio aéreo e bons cobradores;
  • Identificando a melhor equipe em campo, excluir a possibilidade de ficar contra ela mesmo em momentos que o mercado indique oscilações;
  • Nunca tentar recuperar prejuízos, muito menos em mercados que não domina (exemplo: red nas match odds tentando recuperar nos unders);
  • Não hesitar em fechar posições quando perceber uma mudança de cenário no jogo ou no mercado.

Gatilhos Mentais1

 

Estes são alguns exemplos, mas lembre-se que somos seres humanos e que cada um de nós tem suas próprias necessidades. As âncoras de um, podem não servir para o outro. Você precisa se conhecer e, identificando seus pontos fortes e fracos, desenvolver ferramentas para “agir sem pensar”, tornando as suas ações padronizadas.

Afinal, como ser consistente nos resultados, agindo e pensando inconsistentemente?

Você pode ancorar um estado de recursos visual, auditiva ou cinestesicamente. Exemplos: um gesto com a mão seria uma âncora visual, uma palavra ou frase em determinado tom de voz seria uma âncora auditiva, e um toque seria uma âncora cinestésica. Quando ancorar, preste atenção:

  • Intensidade do estado. Quanto mais forte o estado, mais eficaz será a âncora.
  • Pureza de estado. Busque fazer com que o estado seja o mais puro possível.
  • A âncora deve ser ao mesmo tempo singular e capaz de ser repetida. Deve ser separada do ambiente diário e de fácil repetição.
  • A âncora deve ser bem temporizada. Deve ser estabelecida imediatamente antes do pico do estado. Se você esperar até chegar ao pico, poderá ancorar um declínio de estado.
  • A âncora deve ser adequada à situação. Deve se encaixar no contexto em que é necessária ou ser discreta. Socar o ar e uma grande expiração seriam apropriados em uma quadra de tênis, mas não em um discurso após um banquete.

Ancoragem de recursos

Ancoragem De RecursosPara utilizar a ancoragem de recursos você precisa:

  1. Evocar um estado com recursos;
  2. Calibrar o estado;
  3. Ancorar o estado;
  4. Testar a âncora;
  5. Fazer ponte ao futuro para que a âncora seja usada no contexto apropriado.

Podemos citar como os pontos chaves, o teste da âncora e a ponte ao futuro. Veja:

Teste a Âncora: Sempre teste a âncora que estabelecer. Cheque sua fisiologia com sua calibração anterior. Talvez você precise ancorar novamente ou repetir a mesma âncora várias vezes. Não desista até que você possa ver, ouvir e sentir uma diferença. Âncoras devem ser usadas para que sejam eficazes. Quando uma pessoa usa uma âncora umas 20 vezes, a âncora será confiável.  Âncoras que não são reforçadas logo esvanecem, exatamente como qualquer lembrança.

Faça Ponte ao Futuro: Imagine a situação estressante na qual deseja utilizar o recurso da âncora. Faça com que repita essa sequência várias vezes e estabeleça algo que a lembre de usar a âncora.

Fonte: Manual da Programação Neurolinguística (PNL)

Sugestões de leitura :

ROBBINS, Anthony. Ancorar-se no Sucesso. In: Poder sem Limites.

O’CONNOR, Joseph & SEYMOUR, John. Âncoras. In: Introdução à Programação Neurolinguística.

O’CONNOR, Joseph. Estado Emocional,. In: Manual de Progamação Neurolinguística

Janelas da memória

Janelas De Memória

Nós aqui do Clube não somos especialistas em psicologia ou psiquiatria. Somos apostadores. Assim, precisamos nos basear em estudos, considerações e conclusões de profissionais do estudo do comportamento humano, em autores, palestrantes, psiquiatras, psicólogos… recentemente li o livro Ansiedade, de Augusto Cury, médico, psiquiatra, psicoterapeuta e doutor em psicanálise, onde além da ansiedade, também é  abordado o tema “Janelas da memória”. Todo ser humano sente, em algum momento, sensações que bloqueiam o raciocínio lógico. Você já teve aquela sensação de saber exatamente o que deveria fazer, mas na hora acabou fazendo tudo ao contrário e teve um prejuízo? Pois é, na nossa vida tudo o que a gente aprende, ouve ou vê fica armazenado no nosso córtex cerebral.  Essas informações não são apagadas, porém, são divididas em duas seções. Uma delas é chamada de “MUC”, que é a Memória de Uso Contínuo, a outra, “ME”, que é a Memória Existencial. A Memória de Uso Contínuo é aquela que usamos frequentemente, como por exemplo endereços, números de telefone, nomes de pessoas próximas, etc… já a Memória Existencial é aquela que representa as experiências que vão sendo registradas ao longo da vida. Quando passamos por determinada situação, o nosso cérebro reconhece o fato e, através de uma âncora ou gatilho mental (como prefira chamar), é aberta uma janela de memória.

Sabe aquela falta perigosíssima para o Messi cobrar em frente à área, que resultou em gol? Ela foi armazenada em sua mente e, quando essa falta se repete, automaticamente você vai acessar o seu córtex cerebral. Se você ancorou que essa falta “vai dar em gol”, abre-se uma janela, que pode disparar uma ação, sem mesmo analisar se realmente vale a pena, se o mercado não subiu ou desceu demais ou “pra onde vai a Odd” caso o Messi faça ou não o gol. No livro, o autor divide essas janelas em três principais e é muito importante que a gente compreenda como cada uma pode interferir no nosso trabalho e nas nossas vidas.

Janelas neutras

Janelas NeutrasAs janelas neutras são a grande maioria das janelas que temos em nossa mente. São aquelas que se abrem quando precisamos acessar informações básicas, como um número de telefone ou uma senha. Essas janelas não nos fazem mal, nem bem. Elas fazem parte do nosso cotidiano e não são ligadas à fatores emocionais. Não nos levam a sorrir, nem a chorar.

Janelas light

Janelas LightEste tipo de janela se abre quando um dos nossos cinco sentidos reconhece algo e nos remete à coisas boas. Quando acessamos uma janela light sentimos prazer. Sabe aquele fim de tarde, em que trabalhamos de forma correta e olhamos para o nosso “profit and loss” e nos deparamos com um bom resultado? Então…

Janelas killer

Janelas KillerCom esse nome, você já deve imaginar, não é?! As janelas killer são aquelas que nos deixam em estado de pânico e desespero. Quando uma janela dessa se abre e nós não a tratamos de maneira correta, tomamos decisões equivocadas e colocamos os nossos resultados em cheque. Uma janela killer pode ser aberta depois de um red, mas pode ser aberta também depois de uma conversa entre um grupo de apostadores onde o pessimismo impera, ou com algo que você viu quando o jogo começou, no mercado ou em campo.

Como podemos usar as janelas de memória a nosso favor

O primeiro passo pra você que quer começar a compreender como a sua mente funciona e trabalhar para que o fator emocional seja um ponto positivo é conhecer a você mesmo. É necessário identificar, principalmente, quais são as suas janelas killer. Sabendo conscientemente quais são os momentos em que você entra em pânico e toma decisões sem pensar, é possível dominar a sua ação. A janela vai continuar lá e vai se abrir sempre que o mesmo fato se repetir, mas sabendo qual o efeito que ela causa, você pode treinar a sua mente para que a ação tomada a partir do ponto onde a janela se abriu, seja diferente.

Você já teve aquela sensação de saber exatamente o que deveria fazer, mas na hora acabou fazendo tudo ao contrário e teve um prejuízo?

Pois é! Agora você pode controlar e tomar medidas pra que mesmo em situações adversas, você faça a coisa certa.

Sugestões de leitura:

ANSIEDADE, Augusto Cury

A briga de ego

Briga Do Ego

Quantas vezes já vimos no mundo das apostas, do trading, ou mesmo na nossa vida pessoal coisas ruins acontecerem por pessoas se sentirem melhores do que realmente são, ou piores do que realmente são? É frequente ver pessoas quebrando bancas depois de terem multiplicado a mesma por 10. Quando estamos com o “ego em alta”, podemos ser descuidados demais e cometer erros fatais por achar que, devido ao recente histórico, somos inatingíveis. Da mesma forma, quando estamos com o nosso “ego em baixa”, é comum investir de forma desacertada, o que pode nos levar a mais prejuízos, abrindo uma nova janela killer que nos deixa em desespero, e aí começa a se formar uma bola de neve.

Acontece também que muitos se julgam inferiores aos outros e “endeusam” e supervalorizam alguns traders e punters famosos, achando que nunca poderão obter o mesmo sucesso. Se você pensa assim, certamente não conseguirá chegar aos seus objetivos. Precisamos aprender a suportar o peso dos nossos próprios erros e valorizar as nossas vitórias para que possamos repeti-las. No vídeo abaixo, um dos trechos que podem ser destacados é quando se fala de cometer erros. O estudioso, espiritualista e escritor alemão Eckhart Tolle, comenta que “isso tem a ver com o que deriva de sua identificação com o que pensa, e mesmo o pensamento ‘eu falhei’ é uma mentira. ‘Eu sou uma falha’ é uma mentira maior ainda. Você não falhou. Você pode simplesmente reinterpretar: ‘Eu aprendi algo aqui’.”

Conhecer a si é o seu maior trunfo

Conheça A Si MesmoTudo o que você leu até agora está ligado ao fato de nos conhecermos e tomarmos ações para que quando apareçam situações cotidianas ou adversas, possamos pensar e agir de forma coerente e consciente. Ancorando reações a partir de janelas de memória e sabendo lidar com o nosso ego, administraremos o nosso pensamento e seremos capazes de analisar o mercado financeiro esportivo de forma “fria e calculista”.

Esperamos que você tenha feito bom proveito deste artigo. Deixe seus comentários e não esqueça de que ninguém e dono da verdade. Estamos aqui para aprender dia a dia, e quando isso é feito em conjunto, o resultado é sempre melhor!

Um forte abraço.

Escrito por

Autor
Roberto Tavares

Graduado em Tecnologia em Transporte Aéreo e especialista em logística. Torcedor de arquibancada, tem o futebol como a sua maior paixão, hobbie e faz do trading esportivo sua principal fonte de renda. Especialista nas match odds, aprofundou seus estudos neste mercado, mas atua com sucesso também nos mercados Under Goals e Correct Score. O Roberto é um nerd do trading.

> Veja outros artigos criados por Roberto Tavares
Newsletter
Newsletter

Receba o melhor conteúdo sobre Apostas Esportivas On-line direto na sua caixa de email